Breton (André) - Manifestos do Surrealismo

O homem põe e dispõe. Só ele cabe pertencer-se todo inteiro, isto é, manter em estado anárquico a faixa cada vez mais temível dos seus desejos. A poesia ensina-lho, André Breton.

Tradução de Pedro Tamen.

Revisão: Andreia Baleiras.

Concepção gráfica: Pedro Motta.

Capa: Luís Henriques.

Edição: Livraria Letra Livre.

Lisboa. 2016. 358 Págs. broch. € 16,00.